terça-feira, 16 de setembro de 2014

A CLASSIFICAÇÃO MUTANTE


Após o Dia M, noventa e nove por cento dos mutantes do mundo tiveram seus poderes cancelados pelo desaparecimento místico do Gene X. Dessa tragédia, apenas 200 mutantes no mundo ainda possuíam poderes. O que nos leva a crer que esses duzentos mutantes representam os 0,01% da raça mutante, e que no total haviam cerca de 2 milhões de mutantes no mundo. Os dados abaixo são decorrentes de antes desse acontecimento. Em cima deles, trazemos para vocês a tão esperada CLASSIFICAÇÃO MUTANTE.

A classificação mutante tem a ver com características taxonômicas e não com hierarquia ou nível de poder (com exceção da classe ômega, é claro) como se dizem por aí.

CLASSE ALFA
Os mutantes de classe Alfa podem ativar e desativar seus poderes de acordo com a conveniência. Eles se parecem humanos, pois não possuem nenhuma alteração física marcante ou sutil, ocasionada pela mutação. Também não possuem limitações ou “vantagens físicas” decorrente dos poderes. Seus poderes geralmente tem utilidade ofensiva ou defensiva e não crescem com o tempo. Porém o treinamento constante pode fazer o Alfa descobrir novas formas manifestar de seu poder. Estima-se que menos de 10% da população mutante seja de classe Alfa.

Exemplo: Banshee, Psylocke, Mancha Solar, Jubileu, Iliana Rasputin, Colossus, Piro, Avalanche, Flama, Estrela Polar, Lupina, Lince Negra, Bishop, Missel, Emma Frost, etc.

CLASSE BETA
Os mutantes de classe Beta NÃO podem desativar seus poderes, pois não tem esse controle. Eles poderiam se passar por humanos normais e ter uma vida tranqüila se não fosse alguma alteração sutil ou marcante em sua condição física. Os Betas não estão abaixo dos Alfas em escala de poder, mas as falhas de controle sobre seus poderes ou  as possíveis alterações físicas são sempre uma desvantagem social. Seus poderes costumam ser mais ofensivos que defensivos.
Exemplo: Ciclope, Wolverine, Mercurio, Gambit, Vampira, Mimico, etc.

CLASSE GAMA
Os mutantes de classe  Gama, assim como os Betas, NÃO estão abaixo dos mutantes Alfas em hierarquia de poder. Eles também NÃO podem desativar seus poderes e NÃO podem se passar por humanos, pois as alterações físicas são marcantes, não podendo ser escondidas com facilidade. A cor da pele, caldas, escamas, tamanho dos membros, asas, chifres... enfim, a fisionomia e anatomia dessa classe os identificam explicitamente como mutantes. Seus poderes assim como são comumente tem utilidade ofensiva ou defensiva deixando-os na mesma categoria de perigo que os Alfas e Betas.

Exemplo: Fera, Dentes de Sabre, Noturno, Blob, Fada, Arcanjo, Mistica, Sangue Suga, Feral, etc.
CLASSE DELTA
Os mutantes classe Delta, assim como os mutantes Alfa, podem se passar por humanos normais, pois não possuem nenhum alteração física que possa comprometê-los como mutantes. Porém os Deltas NÃO possuem controle sobre o desligamento de seus poderes, deixando-os sempre em estado ativo. Outra característica é a usualidade dos poderes dessa classe, que não são nem ofensivos nem defensivos, sendo no geral, habilidades super ampliadas que dão aos Delta alguma vantagem em relação a demais classes. Sorte, inteligência, engenhosidade, premonição, decodificação de linguagem são alguns tipos de poderes Delta. A maior parte da população mutante é classe Delta e não apresenta nenhum grau de ameaça por causa de seus poderes.

Exemplo: Forge, Dominó, Cifra, Prodigio, Sabia, Sina, etc.
CLASSE ÉPSILON
Os mutantes de classe Épsilon não podem passar por humanos. Suas mutações influenciam diretamente em sua aparência física, fisiológica e anatomicamente. No geral, não possuem poderes ofensivos ou ofensivos.  E diferente dos Deltas, não possuem poderes significativamente úteis, muito pelo contrário, seus poderes tendem a trazer desvantagens na maioria dos casos e são completamente inúteis em qualquer questão de combate. Orelhas de macaco, mudar a cor da pele pra roxo, pele gelatinosa são exemplos de poderes épsilon. Cerca de 20% da população mutante são Épsilon.

Exemplo: Calisto, Tommy, Bico, Artie Maddicks, Derme, Monkey, Morlocks em geral...

CLASSE OMEGA
Os mutantes Ômega são a classe mais poderosa dos mutantes. São capazes de destruição em larga escala, tendo ou não o total controle de seus poderes. Os Ômega possuem a habilidade de controlar matéria, energia, espaço e tempo. Quando juntas, eles são chamados de Psiônicos. Quando separadas, eles são chamados de Elementais. Os mutantes Ômegas tendem a ser confundidos como Alfas em seus primeiros anos de vida, mas quando os níveis de poderes alcançam o grau de periculosidade extrema, eles são reconhecidos pela classificação da S.H.I.E.L.D. como mutantes de Ultimo Nível (de poder) e dentro da Classe Omega (categoria de mutação definida pelos geneticistas). Os mutantes Õmega podem evoluir de qualquer classe mutante, sendo mais comum isso ocorrer entre os Alfas e Betas que em qualquer outra.
     
Exemplo: Magneto, Apocalipse, Nathan Summers, Franlkin Ricahrds, Legião, Proteus, Rachel Summers, Homem de Gelo, Jean Grey, Hope Summers, Lorna Dane, Tempestade, Quentin Quire, Feiticeira Escarlate, Rei das Sombras, Camara, etc.

Polêmica 1: Classificação dos Mutantes Ômegas.
Muitos vão dizer que Ômega Red é um mutante Ômega pois seu nome já diz tudo. Outros irão dizer que o Wolverine é um mutante Ômega por ser praticamente imortal. Ledo engano. A identificação não é tão simples como se imagina, pois principal característica de um mutante Classe e Nivel Ômega é o grau de destruição que ele pode causar e isso pode levar a muita confusão. Dentro dessa legenda, muitos mutantes alfas ou betas poderosos podem ser incluídos erroneamente. Porém existe um caso em particular que chama a atenção: Charles Xavier
 Xavier é descrito como o maior telepata da terra. A telepatia em si já é um poder deveras apelão. Porém inúmeras vezes Xavier demonstrou que seu poderio telepático não é infinito. Longe disso, ele tende a ficar extremamente esgotado após longas incursões telepáticas.  Xavier já derrotou mutantes ômegas bem conhecidos, como Magneto, Rei das Sombras, Jean Grey versão Fênix Negra, e seu próprio filho David Haller, o Legião. Tal sucesso pode ser explicado pelo nível de treinamento em suas habilidades telepáticas extremamente diversas (telepatia, rajada mental, controle mental, possessão, projeção astral entre outras) associado a um super intelecto inventor e memória fotográfica. Charles Xavier é o rei da telepatia, mesmo seu nível de poder não sendo grande o suficiente para controlar mentalmente outros mutantes telepatas poderosos como Emma Frost e Sinistro. O conjunto de suas habilidades e sua experiência é que dão ao professor sua quase invencibilidade no ambiente telepático.

Visto isso, poderiamos dizer que Xavier é um Alfa extremante poderoso, com muita habilidade e experiência a ponto de dar, vender e ensinar.
Mas existe outro detalhe, porém, sobre os mutantes Omega.
Nem todos os Omegas  tem o mesmo nível de poder. Alguns são menos poderosos que outros. E é aí onde Xavier entra na categoria. Xavier pode ser considerando um mutante Omega de nível de poder menor. Xavier não controla a alteração nem movimentação da matéria. Não controla energia elétrica, térmica, magnética. Não controla elementos da natureza nem possui nenhum grau de fortitude física ou invulnerabilidade. Mas suas artimanhas no campo astral são tão notáveis que ele nunca utiliza toda sua capacidade telepática. Ou seja, Xavier sempre foi capaz de derrotar inúmeros inimigos virtualmente mais poderosos que ele usando apenas uma fração de seu poder, pois sempre acreditou que ultrapassar os limites que criou para si mesmo o levaria a loucura ou pior: a corrupção, tornando-se assim tudo que jurou combater...

E no final, o veredicto acaba sendo este: Xavier é um mutante Classe Ômega, de poder incalculável, comprovadamente.

Polêmica 2: Mutação Secundária. 
Alguns mutantes , no decorrer da vida podem desenvolver uma mutação secundária que pode ser natural ou decorrente de manipulação externa, sendo essa mutação uma variante de seu poder original ou não.  Como exemplo disso temos a pele de diamante da telepata Emma Frost e o caso da telesinesia de Betsy Braddock  (Psylocke) que também sempre foi uma telepata. Há também o caso de dois X-Men originais, o Fera e Anjo, que tiveram suas composições genéticas alteradas que repercutiram em transformações físicas correlacionadas a suas mutações originais. (Fera ficou com aparências bestial, enquanto Anjo teve as asas substituídas por asas metálicas).
 
Polêmica 3: Filho de mutante, mutantinho também é?


Não! Absolutamente... não! Como toda regra de distribuição genética, os genes recessivos são passados pela carga genética da mãe (não é machismo, é a natureza). Quando a carga genética masculina (que é invasora) chega ao óvulo, os gameta masculinos trazem cargas de genes mutantes ativos e recessivos. No caso de genes mutantes recessivos paternos encontrarem genes ativos maternos, são estes últimos que reagem dando origem a mutação. Mas quando eles encontram também genes recessivos na mãe, a mutação pode ficar inativa, vindo a se manifestar apenas nos descendentes do casal.
Em raríssimos casos, os genes ativos mutantes do pai podem bloquear a manifestação dos genes ativos mutantes maternos. Como é o caso da Craidon Creed, filho Dentes de Sabre e Mística.
                                                  
Gerações Mutantes

Os primeiros a demonstrarem mutações dentro de uma linhagem são chamados de mutantes de Primeira Geração. Já seus descendentes assumem a nomenclatura decorrente sua distancia com a primeira, sendo de Segunda Geração no case de filhos ou de terceira no caso de netos. (Luna, filha de Pietro é neta de Magneto e uma mutante de terceira geração, além de ser metade Inumana por parte da mãe, Cristalis). Assim como Mistica é mãe de Noturno que é pai de Noturna (T. J. Wagner) com a Feiticeira Escarlate em um futuro alternativo.
Também são mutantes de Segunda Geração: Megan Frost Summers, Oliver Raven LeBeau, e Pavel Rasputin os membros futuristas da Geração Next.       

Polêmica 4: 
O DNA do Summers
Daniel Summers, o primeiro da linagem
Não é de agora que é sabido que o Senhor Sinistro vem tentando criar a linhagem perfeita de mutantes. Em sua busca de 150 anos, Sinistro encontrou várias combinações genéticas que poderiam gerar tal linhagem de super mutantes, porém essas combinações sempre se mostravam instáveis e temporárias. Porém uma linhagem especifica que Sinistro perseguiu até a América deu a ele a respostas pra a estabilidade das combinações genéticas entre os mutantes: O DNA Summers. A adição de filamentos desse código genético peculiar deixava todas as criações de Sinistro estabilizadas. Uma adição de maiores porcentagens desse DNA poderia criar toda uma nova geração de mutantes com poderes estabilizados, diferente da loteria genética a que Sinistro costuma se referir as combinações elaboradas espontaneamente pela natureza.
 
Mas apenas se o DNA estiver com mutações ativas, caso contrário, qualquer amostra seria tão inútil quanto as que já possui. A grande questão é que Sinistro não pode fabricar ou duplicar as amostras que possui. Ele precisa de doações constantes de DNA Summers para suas experiências. Por isso o interesse nos irmãos mutantes Summers, Alex e Scott. Por outro lado, se o DNA Summers pode equilibrar as inconstâncias das mutações, combinado com o DNA mutante ativo de uma outra linhagem antiga, os Grey, os resultados são assustadoramente poderosos. A junção do DNA Summers + Grey resulta sempre em mutantes Classe Ômega, de poderes psiônicos.

Polêmica 5:
Todo super poder é um tipo de mutação?

A priori deveríamos concordar que sim. Mas não seriam mutações naturais e sim induzidas através de elementos externos como produtos químicos, radiação ou magia Como uma regra geral, todo fator externo que modifique as cadeias genéticas de um ser vivo acabará resultando em uma mutação. Todavia, os descendentes de tais seres “mutados” artificialmente com certeza serão mutantes naturais e classificados como de Segunda Geração. Tendo os poderes baseados nos poderes dos pais. Uma vez que tal coisa aconteça, eles precisarão da ajuda da ajuda de profissionais para desempenharem seu papel na sociedade como bons cidadãos.
  

Até a próxima.

7 comentários:

  1. Gostei da lista, mas vários mutantes foram mau classificados.Mancha Solar é um mutante nível ômega, assim como o Mimico, Vampira e Ciclope (Vingadores vá X-men prova). Já o o magneto, Professor Xavier e Apocalipse e Rei das sombras são todos alfa, não ômega. Enfim, no geral até que são boas explicações, mas muitos mutantes da lista estão erroneamente classificados (nem citei todos)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emma frost também é ômega. Ela já derrotou inúmeros ômega e após ser avatar da força Phoenix se tornou bem mais poderosa

      Excluir
    2. Emma frost também é ômega. Ela já derrotou inúmeros ômega e após ser avatar da força Phoenix se tornou bem mais poderosa

      Excluir
  2. Se Kid Omega é nivel Omega pq Charles Chavier não seria? que povo jumento

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Boa sistematização, apesar dos exemplos controversos. Mas também, onde não há controvérsia? Falando nelas, a fala sobre genética foi confusa e nonsense.

    ResponderExcluir
  5. Dá pra fazer uma chave de identificação. Mas em suma: percebe-se que os ômegas são aqueles identificados por ter um poder potencialmente extremo; os alfas tem o poder abaixo dos ômegas e destacam-se por controlar a manifestação do gene X; os deltas tem uma mutação que apenas multiplicam características humanas normais acima dos limites normais; os gamas têm alterações drásticas na forma física e uma mutação que lhes conferem capacidades ofensivas ou defensivas diferenciadas; os betas têm alterações que são apenas sutilmente notadas e também têm capacidades ofensivas ou defensivas diferenciadas; os épsilon não têm capacidades ofensivas ou defensivas diferenciadas e têm perceptíveis e possivelmente negativas alterações em relação aos seres humanos não-mutantes.

    ResponderExcluir